terça-feira, 24 de maio de 2011

O Neruda que você leu.


O Neruda que eu te dei e você leu, não peço de volta. Faz parte do nosso passado em comum, das nossas lembranças. Deixa guardado, foi nosso. Ninguém precisa saber.

"Tu eras também uma pequena folha
que tremia no meu peito.
O vento da vida pôs-te ali.
A princípio não te vi: não soube
que ias comigo,
até que as tuas raízes
atravessaram o meu peito,
se uniram aos fios do meu sangue,
falaram pela minha boca,
floresceram comigo..."

Pablo Neruda


it's me... sometimes!

Um comentário:

  1. Quando eu tiver um Neruda eu te empresto! :) saudades :)

    ResponderExcluir